NOTÍCIAS

FIQUE POR DENTRO DAS NOTÍCIAS DE CAMOBI.

5 RAZÕES PARA VOCÊ ASSISTIR “LOGAN”
07/03/2017

5 RAZÕES PARA VOCÊ ASSISTIR “LOGAN”

Esse post traz uma pequena ideia do que você vai perder se não correr para o cinema para assistir “Logan”, o último lançamento da franquia X-Man, mas fica tranquilinho nesse texto não há spoilers.

Mesmo se você não acompanhou a saga toda, vale a pena conferir!

 

1 – Despedida de Hugh Jackman

É o último filme com Hugh Jackman no papel de Wolverine. Papel este que ele mantém há 17 anos, e que teve três filmes somente do personagem. Além de “Logan”, também protagonizou “X-Men Origens: Wolverine” (2009) e “Wolverine: Imortal” (2013).

Mas depois de ver todos os filmes da franquia, não há como substituir o imbatível ator no papel do mutante, dando mesmo a impressão de que não apenas o último filme de Jackman como Wolverine, mas também a última aparição de Wolverine como X-Men. Porque convenhamos, ninguém é tão a cara do Wolverine como Jackman. Mas claro, isso é apenas suposição.

2 – Mais fiel aos quadrinhos

            Toda a violência e obscuridade do arisco personagem de X-Men dos quadrinhos, ganha tons ainda mais sombrios e artísticos na série da Marvel lançada há mais de uma década. Tanta brutalidade se torna aceitável no cinema com a ajuda do imbatível carisma de Jackman, que tornou o personagem como um dos favoritos no superlotado filão de super-heróis.

            Em “Logan” todas as características perdem o ar caricato do personagem e o tornam mais real, a selvageria típica que foi suavizada nos outros longas da franquia, foi finalmente retratada com fidelidade aos quadrinhos. A censura de 16 anos permitiu maior violência gráfica e linguagem mais desbocada, algo totalmente Wolverine de ser.

3 – Estreia com louvor

            A estreia de Dafne Keen, atriz mirim de apenas 11 anos, é umas das atuações mais comentadas (depois de Hugh Jackman). Ela encarnou perfeitamente a versão feminina do protagonista, a mutante Laura/X-23. A pequena atriz mostra uma criança violenta e carrancuda, mas sem perder o carisma.

            Importante mencionar é que a personagem é protagonista da HQ mensal do Wolverine, o que nos faz pensar em uma possível continuação solo da pequena no papel da mutante, fortíssima candidata a ocupar o lugar de Wolverine na franquia (até porque convenhamos, não há como substituir Jackman no papel).

4 – Um Professor X nunca visto antes

            Assim como Wolverine (mutante) está mais para Logan (humano) no filme, cabe ao Professor X estar mais para nonagenário do que sábio professor. Mas o longa traz uma atmosfera tão mais real e palpável que é absolutamente aceitável.

            A ideia de um professor X sempre sério e sereno ficou para o jovem Xavier. Desta vez, ver o Professor X soltando um palavrão poderia até soar estranho, mas a ótima atuação de Patrick Steward, nos convence facilmente de que o polido Charles Xavier tem motivos de sobra para abandonar a postura afável.

5 – Uma homenagem aos clássicos

            O filme de James Mangold, diretor do longa, tem inspirações em vários clássicos de faroeste, dentre eles “Os Imperdoáveis” de 1992, de Clint Eastwood, e “Os Brutos também amam” de 1953, que é mencionado em uma cena pelo professor Xavier.

            Os créditos finais sobem ao som de “Hurt”, canção do Nine Inch Nails, que ganhou versão definitiva na voz de Johnny Cash. Lembrando que o diretor de “Logan” James Mangold também dirigiu a cinebiografia do cantor, “Johnny & June” em 2005.

            Vale lembrar que em “Logan”, não adianta ficar depois dos créditos, pois dessa vez não há nenhuma cena pós créditos dando qualquer pista sobre o futuro da série. E, de fato, não era necessário.

E você que já assistiu o filme, de a sua opinião!

COMPARTILHAR